Fevereiro/Março

Posted: 17 de mar de 2012 by leo in Marcadores: , ,
3


Então,por motivos de força maior,não pude postar no fim de Fevereiro aqui no blog e por esses motivos a quantidade de coisa conferida num grande espaço de tempo foi reduzida a zero,mas retomei as atividades em tempo de poder conseguir material pra Março e poder postar.

Filmes

Os Descendentes no início da temporada de prêmios foi apontado como grande favorito,especialmente o diretor Alexander Payne,o roteiro e seus atores principais,chegando a vencer importantes prêmios durante ela,a verdade é que o filme ao chegar no Oscar venceu somente o prêmio de Roteiro Adaptado,merecido? Não,se trata de um filme que prefere ir pelo lado cômico desnecessário mesmo sabendo que tem material suficiente pra ser algo muito maior,com alguns personagens que chegam irritar (principalmente Scottie e Sid,que está ali pra nada),o trabalho de edição é mal feito e a direção de Alexander Payne é desinteressante,onde parece somente funcionar quando trabalha com seu elenco excelente,as participações de Beau Bridges,Robert Foster e principalmente Judy Greer são incríveis,Shailene Woodley aparece como a maior subestimação da temporada de prêmios,numa performance belíssima e George Clooney tem a melhor atuação da carreira,onde consegue dizer tudo somente em expressões fortes e destruidoras quando postas em close,infelizmente o filme não faz jus as atuações.Histórias Cruzadas de Tate Taylor era outro grande favorito ao Oscar do ano,e chegou até a premiação com força,pra sorte,os votantes do prêmio ignoraram,um filme polêmico,uns defendem,o acham ótimo,outros além de acharem ruins,acham preconceituoso,concordo com a segunda opinião,mas me privo ao falar somente do filme em si.Fraco,caricato e uma falho na mensagem em que tenta passar,personagens altamente mal escritos e é onde o filme se salva,o trabalho de elenco é primordial,as atrizes fazem trabalhos milagrosos pra dar algum tipo de identidade as suas personagens,Sissy Spacek e Allison Janney tem trabalhos pequenos mais competentes em suas propostas,Octavia Spencer (a vencedora do Oscar) é absolutamente dispensável e repete o que várias outras atrizes já fizeram em filmes com propostas parecidas,Jessica Chastain novamente acerta com uma péssima personagem em mãos,Bryce Dallas Howard é a melhor de todas as coadjuvantes e novamente mais uma atuação ótima que passa despercebida,Emma Stone é competente,mas se prejudica ao dividir o posto de protagonista com a excepcional Viola Davis,a única personagem que possui algum tipo de profundidade do filme,uma atuação extraordinária,merecidamente celebrada.Cavalo de Guerra é o típico drama épico do Steven Spielberg,aquele que faz chorar,a grande diferença é que os anteriores costumam ser bons,o filme é gritantemente cafona,uma história desinteressante que não sabe aproveitar nenhum um pouco de seus personagens e segue a 2°Guerra do ponto de vista de um cavalo,podia ser interessante,mas não é,toma força quando nos focamos nos aspectos técnicos,fotografia,direção de arte perfeitos,um trabalho de edição incrível e uma direção ótima do Steven Spielberg,aqui se pode culpar apenas a desinteressante história,o elenco é vasto mas somente quem se sobressai é Niels Arestrup,fora ele a melhor atuação é do cavalo,apenas mais um filme.Attenberg mescla a simplicidade com a pretensão e erra,um tema ousado em mãos que simplesmente se perde ao decorrer do filme,não se concentra no foco e acaba dando mais importância a coisas menos importantes e assim vai alternando durante o filme,o que o torna inverossímil,algumas cenas altamente aleatórias e uma atuação injustamente reconhecida pelo Festival de Veneza de 2010,Ariane Labed é corajosa,se entrega,tem os seus momentos,mas é evidente a inexperiência da atriz.Pra terminar,Essential Killing que muito diferente de todos os citados,é uma obra de arte,uma aula de como se fazer cinema,um trabalho completo,direção genialíssima de Jerzy Skolimowski,uma trabalho de fotografia simples e extremamente importante para a conduzir um filme igualmente frio e irretocável e a atuação mais subestimada dos últimos anos,Vincent Gallo é assustador e assustado ao mesmo tempo,um filme impressionante,no qual todos merecem assistir.

5 Cenas
  1. Mohammed encontra uma mulher amamentando na floresta (Essential Killing)
  2. A fulga de Joey (Cavalo de Guerra)
  3. A conversa entre inimigos (Cavalo de Guerra)
  4. "You is Kind,You is Smart,You is Important" final (Histórias Cruzadas)
  5. A Visita de Matt e Alex aos Speer (Os Descendentes)

Séries

Durante o tempo sem internet,os maiores prejudicados de fato foram as séries,mas foi tempo suficiente de assistir algumas coisas,como o excelente piloto de Awake,um piloto com impacto,ótimo roteiro e atuações muito boas,principalmente de Jason Isaacs,Dylan Minette e Cherry Jones,o 2° de Smash possui problemas com um dos personagens mais importantes da série,o drama de Julia (Debra Messing) é chato e desinteressante e seu filho é incoerente,já no 3° percebemos que quando a série se foca mais na parte produtiva da peça,a série se torna mais interessante.Southland só faz melhorar e Regina King se mostra cada vez melhor e percebemos que ela é a atriz mais subestimada da atualidade e House of Lies continuou se focando em seus textos o que torna a série bem menos chata,a atuação de Don Cheadle permaneceu numa qualidade constante e Kristen Bell impressiona no 5° episódio,já Alcatraz desisti.No último domingo,estreou a 5° temporada de Mad Men,impressionantemente com o mesmo vigor de sua 1°,com um humor nunca antes visto (ou nunca antes percebido),cenas marcantes e atuações notáveis,Don aparece de vida nova e casado com sua ex-secretária,interessante o constante paralelo da vida de Don e Megan com a de Roger e Jane,interessante e particularmente triste,e no episódio temos talvez uma das cenas mais bem feitas da série,a visita de Joan e seu bêbê na Sterling Cooper Draper Pryce,impressionante como uma visita desencadeou uma série de constrangimentos em todos os personagens envolvidos na cena.Antes mesmo disso,tivemos o 3° e o 4° episódio da injustamente cancelada Luck,as coisas começavam a crescer e tomar proporções sérias,a maestria na direção e roteiro continuaram incríveis,mas nada me impressionou tanto quanto a performance genial de Nick Nolte em ambos episódio.Finalmente terminada Homeland,ao seu fim,a pergunta feita foi "como conseguirei sobreviver sem isso durante um tempo?" uma pergunta justíssima,quem assistiu,provavelmente também se sentiu constantemente enganado e tudo era uma surpresa,todas convincentes,roteiros extraordinários e atuações impressionantes,de arrepiar,as participações de Marin Ireland e Ramsay Faragallah são essenciais e ótimas,Morena Baccarin,Mandy Patkin e Damian Lewis todos extraordinários e com momentos de maestria em suas particularidades,mas Claire Danes tem a melhor personagem de sua carreira,genial em todos os segundos,todos os momentos de sua inconstante personalidade,uma 1° temporada extraordinária.E tivemos,finalmente a 4° temporada de Breaking Bad (a melhor série da atualidade),é absolutamente um trabalho difícil de falar sobre Breaking Bad,é o tipo de conteúdo que é necessário ser assistido para ter noção de tamanha genialidade,tamanho trabalho bem feito de direção,roteiro,fotografia e atuações,somos premiados com cenas antológicas,a atuações de assustar de tão bem compostas,o crescimento de personagens que antes apareciam como meros coadjuvantes é extraordinário,uma série surpreendente até o último segundo (literalmente) e que é válido ser visto,com urgência.

10 atuações
  1. Bryan Cranston em Breaking Bad por Crawl Space
  2. Claire Danes em Homeland por The Vest
  3. Aaron Paul em Breaking Bad por Problem Dog
  4. Giancarlo Esposito em Breaking Bad por Box Cutter
  5. Nick Nolte em Luck por Episode 3
  6. Damian Lewis em Homeland por Marine One
  7. Anna Gunn em Breaking Bad por Cornered
  8. Regina King em Southland por Identity
  9. Mandy Patkin em Homeland por The Good Soldier
  10. Christina Hendricks em Mad Men por Little Kiss

Música

O genial Leonard Cohen lançou Old Ideas,um álbum como muito dos seus,ótimos quando se focam em suas letras que não envolve religiosidade,neste temos a matadora Anyhow e a também belíssima Crazy to Love You,mas sendo um álbum que boa parte dele é recitada (já que Leonard,tem uma bela voz,que pra cantar não funciona muito bem) pode cansar.Everything is Changing da Anneke Van Giersbergen já desponta fácil,como um dos mais dispensáveis do ano,não há nada em que se aproveite,um pop nada envolvente e de letras e melodias fracas.Put Your Back N 2 It do Perfume Genius,foi a surpresa do mês,sem o mínimo conhecimento anterior,conferi e me surpreendi com músicas de qualidade,melodias intrigantes e um toque de blues,All Waters e Normal Song facilmente se destacam.A dupla sueca First Aid Kit,influenciada por Fleet Foxes e Joanna Newsom (PUTZ!) e tem a participação de Conor Oberst em The Lion´s Roar,facilmente aparece como um dos melhores lançamentos do ano até agora,com músicas marcantes e belas vozes destacam In The Hearts of Men,I Found a Way e principalmente a extraordinária King of the World.Após os ótimos Girls and Boys e principalmente Be Ok,Ingrid Michaelson precisava despontar com mais um bom disco,já que Everybody não é tão empolgante assim,infelizmente,Human Again não é muito melhor que o anterior.The Cranberries ficou em hiato durante 9 anos,e após tanto tempo,deviam no mínimo lançar algo que faça jus a carreira incrível da banda,e fizeram,já que mesmo com uma discografia notável Roses se sobressai com músicas extraordinárias como Losing My Mind,Waiting in Whaltamstow,Roses e principalmente a maravilhosa Conduct.O erro de Paul McCartney com Kisses on the Bottom,foi o mesmo erro cometido pelo Kaiser Chiefs ano passado,um ótimo álbum que nos cansa pela quantidade excessiva de músicas,mas nunca,nunca ignorar canções memoráveis como I´m Gonna Sit Right Down and Write Myself a Letter,The Glory of Love e a belíssima My Valentine.Band of Skulls entra no mesmo hall de First Aid Kit,mas não com o mesmo impacto,músicas sensacionais e vocais extraordinários e este é realmente um álbum complicado de se escolher uma preferida.Terminando o mês,Que Assim Seja do Rashid,cumpre bem o seu papel,mas acaba indo muito pela zona de conforto do Rap Nacional que muito me incomoda,mas possui ótimas músicas,como Que Assim Seja e a incrível Quando Éramos Seis e Always do Xiu Xiu que poderia ser bem melhor e por pouco não foi o Paralytical Stalks da vez,optando por caminhos estranhos e se perdendo em boa parte de suas músicas,ouçam Smear the Queen.

5 Músicas