Kick Ass - Quebrando Tudo

Posted: 29 de jun de 2010 by leo in Marcadores:
4


Dave é um adolescente viciado em quadrinhos cansado de apanhar ou ser ameaçado.Até o dia em que ele resolve virar o super herói Kick Ass e mudar esta rotina.Como?Nem ele sabia,mas ao defender fantasiado de herói (e apanhando mais ainda) um cara que levava uma surra,o vídeo com as imagens dele enfrentando os bandidos foi parar na internet e ele virou um fenômeno.Dave só não contava que a sua fama iria envolvê-lo no meio de um plano de vingança de Big Daddy e Hit Girl contra Frank D´Amico,um mafioso da cidade,vivendo uma verdadeira e violenta aventura que mudaria para sempre na sua vida.

Fiquei sabendo de Kick Ass através do trailer de Hit Girl e fiquei totalmente apaixonado somente pela idéia de ver uma menininha de no máximo 12 anos armada e manejando uma espada e simplesmente dilacerando quem fosse ameaçador.E eis que tá a grata surpresa,tudo aquilo que vi e fiquei encantado,só aumenta quando se assiste ao filme.
Antes de tudo é legal que o roteiro seja 99% fiel ao HQ (depois que soube do contexto do filme procurei os quadrinhos pra minha felicidade),e a fidelidade não se limita somente as situações e as falas,mas também aos cenários e a ótima seleção de elenco onde todos os atores se parecem com os personagens do HQ (principalmente Mark Strong).
O filme ao todo sempre aposta em cores vivas pra todo o filme parecer ainda mais psicodélico,mas os atributos técnicos não deixam totalmente a desejar,a trilha sonora de Kick Ass é uma de suas maiores qualidades.Mas é impossível deixar de falar dos efeitos especiais péssimos,mas que de fato não atrapalha e não incomoda até mesmo porque o filme não precisa de efeitos pra ser um bom filme.

Sobre as performances do filme,ninguém,digo ninguém deixa a desejar.Aaron Johnson tem uma atuação carismática e divertidíssima e que imediatamente nos faz se identificar com o seu inicialmente pobre coitado Dave.Mas a cara de anjo e simpatia de Chloe Moretz nos faz amar a controversa Hit Girl.
Já sobre os coadjuvantes eu gostei muitíssimo da pequena participação de Nicolas Cage que em poucas cenas nos entrega uma performance que não fez em três filmes seguidos.
E é impossível falar de Kick Ass e não falar da cena do tiroteio com a Hit Girl.A cena é tão épica que chego a comparar com a espetacular cena de Beatrix Kiddo fazendo sua pequena chacina em Kill Bill vol.1.
O grau de fantasia e a coreografia da cena é tão incrível,que nos deixa encantado com tamanha atrocidade e o que faz a cena do tiroteio ser mais interessante e mais louca que a de Kill Bill?A resposta é simples,dessa vez a autora da matança é uma menina de 11 anos.

Por fim Kick Ass,é interessante,provocativo,violento e o mais importante entre todos,divertidíssimo,entra facilmente pra briga entre os melhores do ano e se você ainda não viu,vá e veja.

Sinopse retirada do Adoro Cinema


Nota:10/10

Kick Ass - Quebrando Tudo (Kick Ass,2010)
Diretor:Matthew Vaughn
Roteiro:Jane Goldman & Matthew Vaughn
Elenco:Aaron Johnson,Chloe Moretz,Nicolas Cage,Mark Strong,Christopher Mintz Plasse,Lyndsy Fonseca,Garrett M.Brown,

Glee 1ºTemporada

Posted: 27 de jun de 2010 by leo in Marcadores:
8


Quando ouvi falar de Glee,fiquei imediatamente curioso pra conferir a série por diversos fatores,um deles foi por ser uma série musical,mas também imediatamente fiquei preocupado com uma série de 22 episódios conseguiria segurar a onda sem se atrapalhar com o seu desenvolvimento e sem cansar o espectador.Outro foi por ser uma série criada por Ryan Murphy porque mesmo sem assistir Nip/Tuck só o nome Ryan Murphy tem lá o seu peso e influência e terceiro e último desses fatores é que no elenco comparecia o nome Jane Lynch.E a pergunta que fica é:A série segurou a onda de suportar os 22 episódios sem se cansar,sem se enrolar,sem ser totalmente chato e na minha opinião,Glee fez a sua parte e fez bem feito,a série deu suas deslizadas mas nada que atrapalhe o andamento da temporada.

A série se baseia no clube do coral do colégio McKinley em Ohio ou seja o clube do coral eram os últimos colocados na escala de popularidade no colégio e com o decorrer dos episódios ficaram as liçõezinhas de moral,que algumas vezes era citada de forma interessantíssima,mas outras acabavam ficando repetitivas (um exemplo disso era sempre a mensagem que a série passava de que o importante é competir).E falando em repetitivo,coisa exaustivamente repetitiva foi as diversas ameaças de terminar com o clube do coral que praticamente em todos os episódios acontecia algo pro New Directions terminar,o bom da situação é que o desfecho com a Sue dando uma segunda chance ao clube foi uma saída satisfatória de um assunto irritantemente citado no decorrer da temporada.
Basicamente a temporada se resumiu nesses fatos,as frustrações e conquistas de Will e Sue,a gravidez de Quinn e qualquer coisa que envolvesse Rachel e Finn.

Uma coisa positivíssima do seriado que muitos reprovaram era a rapidez que os assuntos tocados se desenvolviam,ou seja nada (exceto a gravidez da Quinn,claro) foi arrastada até o fim da temporada.
As atuações da série são controversas e dividiu muito opinião,dou como exemplo Lea Michelle,Matthew Morrison,Cory Monteith,Amber Riley e Jayma Mays,uns achavam bons e outros achavam somente bons cantores,mas também em termos de atuações existiam duas certezas Jane Lynch e Chris Colfer são ótimos enquanto Dianna Agron era péssima,tanto atuando quanto cantando.
Na minha opinião Lea Michelle e Jane Lynch dominaram toda a primeira temporada da série,a intensidade de Rachel ajudaram bastante na fácil identificação com a personagem e já Jane Lynch nos conquista com seu carisma incontestável e é simplesmente IMPOSSÍVEL odiar uma personagem tão incrível quanto Sue Sylvester.Já Chris Colfer e Amber Riley são duas gratas surpresas que só melhorou ainda mais na reta final da temporada e ambos tiveram seus momentos.

Por fim Glee teve lá suas escapadas,mas como foi uma série de premissa diferente,acabou conquistando não só a mim como muitos,mas que passou perfeitamente bem sua mensagem,de forma descontraída e interessante e recomendo a você que tem bastante paciência com musicais.


Nota:9/10

Melhores Episódios:The Rhodes Not Taken,Wheels,Sectionals,Theatrically
Pior Episódio:Acafellas

O Segredo dos Seus Olhos

Posted: 23 de jun de 2010 by leo in Marcadores:
9

É 1974 e Irene Menéndez,é a nova chefe do departamente policial onde trabalha Benjamín Espósito,um policial experiente,sempre sério e bastante íntegro e Pablo Sandoval,um ótimo policial mas um beberrão.Na noite de 21 de Junho,Liliana Colotto,uma belíssima jovem,casada com o bancário Ricardo Morales é brutalmente estuprada e assassinada em sua própria casa.Em Meio ao mistério de quem foi o assassino de Lilliana,nasce uma paixão entre Benjamin e Irene.

Como já disse por aqui em uma resenha anterior,a América do Sul é o continente do futebol,mas quando o assunto é cinema algumas vezes deixa a desejar.Mas quandoos países daqui resolvem fazer bonito no cinema,eles fazem coisas como esse O Segredo dos Seus Olhos.
Entre todas as coisas que me chama atenção no filme,a primeira impressão que tive é que acontece pouco,só os fatos essenciais ocorrem meio que preparando terreno para todo êxtase após os 50 minutos iniciais.
O filme é daqueles que não se dá a proeza de errar em momento nenhum.Roteiro irretocável que consegue de forma ímpar balancear mistério,tensão e romance em doses moderadas e precisas.Fotogradia e Trilha Sonora sempre se fazem presentes juntas,sútis e infalíveis nos momentos decisivos do filme.

A direção de Juan José Campanella é esperta,a lentidão inicial (já citada acima) não mostrava qualquer risco,qualquer ousadia da parte de Campanella,mas após os tais minutos iniciais vemos algumas cenas incrivelmente bem executadas,a cena do estádio e o interrogatório são cenas marcantes,tanto pela competência absurda da edição,quanto a Campanella.
O elenco do filme é nada menos,nada mais que ESPETACULAR,tanto os coadjuvantes Pablo Rago e Guillermo Francella que em cenas isoladas entregam performances divinas (a cena final de Rago com Darin é divinamente tensa),já Javier Godino nos impõe medo em somente uma cena em que o personagem permance calado.
Já o casal Ricardo Darín e Soledad Villamil está fora do normal de tanta maestria,tanta química.

Darín nos satisfaz em diversas cenas,sempre se destaca,Darín é um turbilhão de emoções.E Soledad Villamil ganha total credibilidade por algumas cenas.Somente oela cena do interrogatório,Soledad merece qualquer tipo de prêmio que lhe oferecesse,impondo respeito e porque não medo,já que sua intenção era incomodar e ofender.
Mas agora devo falar de uma cena que provavelmente não sairá da minha cabeça por um bom tempo,a sequência do elevador é de parar a respiração e é fácil nos colocar no lugar de Benjamín e Irene,ver algo inadmissível e simplesmente não poder fazer nada e é claro a cena não seria melhor se não fosse o trio excepcional de atores e a competência absurda de Campanella.

Por fim com um final incrível,O Segredo dos Seus Olhos mostra de forma impecável a influência que o passado tem na vida das pessoas.


Nota:10/10

O Segredo dos Seus Olhos (El Secreto de Sus Ojos,2009)
Diretor:
Juan José Campanella
Roteiro:Juan José Campanella,Eduardo Sacheri
Elenco:Soledad Villamil,Ricardo Darín,Carla Quevedo,Pablo Rago,Javier Godino