Abril

Posted: 28 de abr de 2012 by leo in Marcadores: , ,
4

Filmes

No início de Abril,assisti a Tão Forte e Tão Perto de Stephen Daldry.Este foi mais um dos filmes de Daldry indicados ao Oscar,a diferença é que esse aqui foi uma escolha completamente inexplicável e é incompreensível o amor que a academia possui pelo diretor irregular.Aqui a direção é melhor que em O Leitor,mas o filme consegue ser inferior,não atinge e nos cativa em poucos momentos,a edição é ótima e a trilha sonora bem feita,mas o roteiro é desinteressante e a forma em que Daldry filme as diversas reviravoltas e visitas aos Black não é chamativo,a direção toma força quando se foca principalmente ao ótimo elenco,Thomas Horn ótimo,num personagem que ultrapassa o limite do insuportável,Max Von Sydow é extraordinário e certeiro,cativando com pouquíssimo tempo em cena e Sandra Bullock numa atuação que realmente merecia prêmios,muitíssimo bem,vale ressaltar a boa participação de Viola Davis que não decepciona,já Tom Hanks,passa despercebido como nunca,um filme que somente assistindo é fato de que ficou melhor num livro.A Guerra Está Declarada foi o filme enviado pela França pra concorrer ao Oscar 2012 e até agora um dos meus favoritos do ano,a trilha sonora é extraordinária e a fotografia simples é cativante,o primeiro ato do filme é absurdamente perfeito,frenético,não nos deixa respirar por um segundo e chegamos no ápice do filme ao seu fim,a partir daí o ritmo se diminui,mas a magia do filme continua lá,Valerie Donzelli está ótima em cena,mas Jérémie Elkain é fantástico,simples e verdadeiro,interessantemente,o filme possui uma alta quantidade de referências pop que me agrada,um filme que dá uma sensação de que o mundo é lindo após assistí-lo.Aleksei Fedorchenko dirigiu Almas em Silêncio,que mostra um ritual local de velamento de suas esposas,um filme com intenções interessantes,mas que provavelmente funcionou muito melhor para as pessoas que vivem em tal lugar,desinteressante,sonolento e arrastado,onde só a fotografia (merecidamente premiada em Veneza) chama atenção,mas muito válido destacar os momentos finais,o que parece o único momento lúcido de todo o filme.O Espião Que Sabia Demais dirigido por Tomas Alfredson é minimalista,complicado e bem feito,os diálogos são incrivelmente bem escritos,a trama é envolvente,mesmo que seja desenvolvido de forma lenta,a fotografia é sensacional,mas o grande ganho do filme é o elenco.Gary Oldman está maravilhoso,nos ganha com o charme único e o minimalismo impressionante,entre os coadjuvantes é complicado escolher o melhor,sendo que Colin Firth,Benedict Cumberbatch,Mark Strong,Toby Jones,David Dencik e Tom Hardy cada um com momentos extraordinários,um filme excepcional.E pra terminar finalmente assisti a O Poderoso Chefão 2,eu já tinha achado o 1° extraordinário,esse consegue ser ainda melhor,mais completo,com uma trama ainda mais complexa e interessante,chover no molhado dizer que o filme é uma obra prima,mas destacando o que mais me chamou atenção,além do roteiro milimetricamente perfeito e a direção incrível de Francis Ford Coppola (que sobressaia ainda mais quando se tratava de Vito Corleone),a fotografia é magnífica e a trilha sonora intrigante,mas como costuma ser o que mais me chamou atenção aqui é o elenco,onde todos os atores possuem seus momentos de genialidade,Robert DeNiro numa personificação perfeita de Don Vito Corleone,Michael V.Gazzo explosivo na medida certa e John Cazale é o cara perfeito pra transparecer vulnerabilidade,Talia Shire com poucas cenas mas certeiras nas que possui e Diane Keaton é sempre um deslumbre,sempre e finalmente consegui encontrar minha atuação preferida de Al Pacino,sensacional,uma obra de arte.

5 cenas
  1. "I knew it was you Fredo,i knew,you broke my heart" (O Poderoso Chefão 2)
  2. Sequência da discoberta da doença (A Guerra Está Declarada)
  3. "It´s about which master you´ve been serving,Toby" (O Espião Que Sabia Demais)
  4. "You WON´T TAKE MY CHILDREN!" (O Poderoso Chefão 2)
  5. O 1° encontro de Oskar com Abby Black (Tão Forte e Tão Perto)


Séries


Abril foi um mês bom,muito bom para as séries,no 1° dia do  mês estreou a 2° temporada de Game of Thrones,série merecidamente hypada e que obteve uma continuação satisfatória com o fim de sua 1° temporada que funcionou perfeitamente mesmo dando a impressão de introdução para a real trama,nela temos uma cambada de gente querendo ser rei e em meio a isso temos Tyrion Lannister servindo de Mão do Rei (no caso,o abominável Joffrey),e em sua função Tyrion é mil vezes mais eficiente que Eddard Stark por ter toda a segurança necessária pro cargo,coisa que o antigo não possuia,fomos introduzidos a diversos personagens,até agora os mais interessantes são eles as intrigantes Melisandre e Margaery Tyrell,ambas parecem servir como as verdadeiras mandantes de seus supostos reis,a série possui diversas tramas onde necessitava de um texto unicamente para a série e essa não é a intenção,pode-se adiantar que se a temporada continuar nesse ritmo,será ainda superior a sua primeira.Se a premiere dupla de Mad Men foi extraordinária,todos os episódios que o sucederam conseguiram ser facilmente superiores,mesmo quando parece não se ter pra onde,todos os personagens são levados aos extremos,com roteiros magníficos e diálogos de arrepiar,direção dos episódios são maravilhosos (destaco aqui Mystery Date e Far Away Places),até onde estamos,parece que a temporada pertence a Christina Hendricks que já possui material suficiente pra vencer um Emmy,novamente enfatizo,como Mad Men mesmo em sua 5° temporada parece manter sua vitalidade.Ainda aos domingos,estreou The Client List,a melhor série bagaceira até agora,a trama central é interessante,mas desenvolvida de forma desleixada,mas como um todo,tudo funciona perfeitamente bem,ao chegar em Tough Love,tudo fica ainda mais interessante e mais difícil de largar,Jennifer Love Hewitt é uma atriz interessante,me impressiono com a variedade do ótimo com o péssimo que a atriz consegue equilibrar,uma série ruim e se torna boa por divertir e por ser absurda.E por último,entre as estreias,tivemos Scandal,nova série de Shonda Rhimes,que se trata da ex-assistente do Presidente dos Estados Unidos,Olivia Pope e sua "firma",um premissa interessantíssima,onde até o seu 3° episódio,a trama central funcionava perfeitamente e os procedurais não tanto,outro ponto negativo da série é a perfeição chata da protagonista,onde nem Kerry Washington conseguia ajudar a melhorar a situação,mas o 4° episódio da temporada,aparece como o melhor episódio do mês.frenético e maravilhoso,até o seu fim.E teve Magic City que não valeu a pena ter perdido três episódios.Entre as comédias do mês,tivemos as estreias de Don´t Trust the Bitch in Apartment 23,divertida e a dupla de protagonistas (Krysten Ritter e Dreama Walker) são ótimas e a piada constante que é James Van Der Beek funciona muito bem,na HBO tivemos a estreia de Girls,criada,roteirizada,dirigida e atuada por Lena Dunham que retrata muito bem a sensação de vazio que mulheres solteiras em torno dos 20 anos possuem numa metrópole,a série é bem escrita,bem atuada e bem conduzida,vale a pena conferir.Ainda na HBO estreou Veep,essa sim uma comédia que faz rir (no meu caso,rir muito),sobre a Vice Presidente dos Estados Unidos Selina Meyer,brilhantemente interpretada pela genial Julia Louis Dreyfuss,ainda no elenco temos Anna Chlumsky,Reid Scott e Tony Hale,todos incríveis em seus personagens.E a maratona do mês foi dá também comédia da HBO,Enlightened,criada por Mike White e protagonizada por Laura Dern,uma mulher que entre em crise nervosa após descobrir que foi suspensa de seu setor,a atriz tem uma atuação impecável até o fim,Dern nos faz sentir compaixão,vergonha e raiva de Amy Jellicoe,ainda temos os ótimos em cena Diane Ladd (maravilhosa em Consider Helen),Luke Wilson e Mike White,série extremamente recomendada.
10 Atuações
  1. Christina Hendricks em Mad Men por Mystery Date
  2. Patrick Malahide em Game of Thrones por The Night Lands
  3. Luke Wilson em Enlightened por The Weekend
  4. Julia Louis Dreyfuss em Veep por Fundraiser
  5. Jon Hamm em Mad Men por Mystery Date
  6. Peter Dinklage em Game of Thrones por What Is Dead May Never Dies
  7. Jack Gleeson em Game of Thrones por The North Remembers
  8. Jared Harris em Mad Men por Signal 30
  9. Elisabeth Moss em Mad Men por Far Away Places
  10. Peyton List em Mad Men por Far Away Places

Música


Comecei o mês de Abril ouvindo Scars and Stories do The Fray e to querendo desesperadamente o meu tempo perdido de volta,ainda mais desinteressante que Paralytical Stalks e Everything Change,por ter aquela sensação eterna de Deja Vu.All of Me da Estelle já melhorou completamente a situação,não há nada de novidade no disco,mas a sensação de vir algo novo da cantora já é um avanço,destaco aqui  a ótima The Life e a incrível Do My Thing,que tem participação de Janelle Monáe.Pela primeira vez ouvi um disco da até então desconhecida por mim Rosie Thomas,ao ouvir pela primeira vez a achei extraordinária,mas após ouvir With Love de uma vez,a cantora perdeu o impacto,mas há músicas incríveis como Two Worlds Collide,Back to Being Friends e principalmente a linda Sometimes Love.Até então,as coisas não iam bem pra música no mês de Abril e foi quando peguei pra ouvir Tramp da Sharon Van Etten,cantando o desespero,a cantora se sobressai como um dos melhores discos de 2012 até agora,Warsaw,Serpents,Leonard,All I Can e Joke or Lie sao impecáveis,mas não Give Out e principalmente a desesperadora I´m Wrong aparecem como candidatas fortes como melhores músicas do ano.Pra graça da humanidade,Madonna largou de seus parceiros rappers e ajudou a produzir o ótimo MDNA,Falling Free possui uma letra marcante e Masterpiece uma batida,já Gang Bang e Turn Up the Radio é todo um conjunto que dá extremamente certo,vale muito a conferida.Miike Snow é um cantor que dispensa comentários,a única coisa que se deve fazer sobre é ouvir,o que me faz admirá-lo ainda mais é que ele escreve e produz todas as suas músicas,com isso,temos obras extraordinárias como The Wave,Devil´s Work,Archipelago,Paddling Out e Black Tin Box que tem participação da lindíssima Lykke Li,mas em Happy To You nada supera Vase,empolgante de forma minimalista.E pra fim,temos a volta do nome do pop que devia ser muito mais valorizado,Marina and the Diamonds vem com respeito com seu novo trabalho Electra Heart,não deixa devendo nada seu excepcional The Family Jewels,o início é empolgante até dizer chega,pelo meio se torna cansativo por ter duas músicas meio inusitadas e o fim volta a ficar genial,terminando de forma brilhante com a linda Fear and Loathing,atentem a Teen Idle,Lies e Homewrecker e por favor,toquem Primadonna em suas festas.

5 Músicas