In The Loop

Posted: 29 de nov de 2010 by leo in Marcadores:
5


O Presidente dos EUA e o Primeiro Ministro querem começar uma guerra,porém nem todos acreditam que esta seja a melhor alternativa.O general americano Miller e o Secretário do Estado para Assuntos Internacionais Britânico Simon Foster são contra a guerra.Quando Foster deixa escapar em uma entrevista que o governo está apoiando a guerra,a mídia transforma o fato de um conflito internacional,e o atrapalhado secretário é enviado aos EUA pra resolver a situação.

In the Loop é um filme no qual nunca fiquei curioso e mesmo com elogios da crítica,nunca me chamou atenção,mas como todo ano faço maratonas para assistir aos filmes indicados ao Oscar (nas categorias que mais me interessam),resolvi assistir In the Loop.
Como todos já devem saber In the Loop foi indicado ao Oscar de Roteiro Adaptado e merecidamente,diálogos ácidos compõe uma comédia política que é coberta de tensão "pré-guerra",o filme também retrata bem o dia a dia turbulento de secretários e assistentes políticos e a pressão que esses profissionais convivem ao trabalhar ao lado de gente de caráter duvidoso e egos inflados,sem contar de como o roteiro de Jesse Armstrong,Simon Blackwell,Armando Ianucci,Tony Roche e Ian Martin explora bem a força de boatos e a influência que a mídia pode ter.

Como disse o roteiro tinha tudo pra ser perfeitamente digno se dirigido por mãos certas,mas não Armando Ianucci põe boa parte do brilho do roteiro por água abaixo.In the Loop se torna um filme extremamente desinteressante e cansativo,chegando até a ficar chato num certo ponto.
Em assuntos de atuações os ditos "poderosos" do filme se sobressaem quando se compara com os "subordinados",Mimi Kennedy e James Gandolfini estão ótimos em cena (mais especificamente na sequência final),a figura atrapalhada de Simon Foster é representa muito bem pelo ótimo Tom Hollander,mas quem rouba totalmente a cena é Peter Capaldi,que está impagável e ofensivo (no literal mesmo),ótima atuação.

Por fim In the Loop é um filme que envolve boatos e tensão política que poderia ser ótimos,mas que por culpa da desleixada direção de Ianucci vai por água abaixo.


Nota:6/10

Sinopse Retirada do Site Cine Players

In the Loop (Idem,2009)
Diretor:Armando Ianucci
Roteiro:Jesse Armstrong,Simon Blackwell,Armando Ianucci,Tony Roche,Ian Martin
Elenco:Peter Capaldi,Gina McKee,Tom Hollander,Chris Addison,Mimi Kennedy,Anna Chlumsky,Enzo Cilenti,James Gandolfini

Os 20 Melhores Filmes da Década - Parte 2

Posted: 26 de nov de 2010 by leo in Marcadores:
11

Ontem postei a minha de 20 a 11 de Melhores do ano e aqui vai os meus 10 preferidos:


10°Entre Os Muros da Escola (dir:Laurent Cantet)

9°Onde os Fracos Não Têm Vez (dir:Ethan & Joel Cohen)

8°Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembrança (dir:Michel Gondry)

7°Desejo e Reparação (dir:Joe Wright)

6°Sangue Negro (dir:Paul Thomas Anderson)

5°Sobre Meninos e Lobos (dir:Clint Eastwood)

4°Em Busca da Terra do Nunca (dir:Marc Foster)

3°Closer - Perto Demais (dir:Mike Nichols)

2°Quase Famosos (dir:Cameron Crowe)

1°As Horas (dir:Stephen Daldry)

E assim (sem surpresa nenhuma pra ninguém) termina o fim da lista,até as próximas listas.

Os 20 Melhores Filmes da Década - Parte 1

Posted: 25 de nov de 2010 by leo in Marcadores:
6

A um tempo atrás a Sociedade Brasileira de Blogueiro Cinéfilos abriu uma votação de Melhores Filmes da Década,nos mesmos moldes da votação de Melhores Atuações da Década.Pra ser sincero foi mais simples que a de atuações,mas mesmo assim bastante complicado,abaixo a primeira parte da minha lista:


20°Longe do Paraíso (dir:Todd Haynes)

19°Linha de Passe (dir:Walter Salles e Daniela Thomas)

18°Réquiem Para um Sonho (dir:Darren Aronofsky)

17°Jogo de Cena (dir:Eduardo Coutinho)

16°Kill Bill.Vol 1&2 (dir:Quentin Tarantino)

15°Bastardos Inglórios (dir:Quentin Tarantino)

14°Encontros e Desencontros (dir:Sofia Coppola)

13°Moulin Rouge-O Amor em Vermelho (dir:Baz Lurhman)

12°Na Natureza Selvagem (dir:Sean Penn)

11°O Segredo dos Seus Olhos (dir:Juan José Campanella)

Taí,espero que gostem e amanhã postarei a 2° parte.

Vencer

Posted: 22 de nov de 2010 by leo in Marcadores:
9


pode conter spoiler

Ida Dalser conheceu Benito Mussolini quando ele era apenas um militante socialista radical.Fascinada por ele,resolve se desfazer de suas posses para ajudá-lo no jornal II Poppolo d´Italia e na criação do Partido Fascista.Eles têm um filho,mas com a chegada da 1°Guerra Mundial,Mussolini se alista no exército e desaparece.Ida apenas o reencontra no leito do hospital ao lado de sua nova esposa Rachele.

Vencer foi um filme que até a pouco tempo atrás eu simplesmente não sabia de sua história somente pelo fato de nunca ter procurado me interessar pelo filme,mas como eu sempre sou curioso por atuações que geram buzz.Corri atrás do que se tratava e presenciei uma das melhores coisas do ano lançado em circuito nacional.
Primeiramente é válido lembrar que Vencer é um filme onde somente uma visão dos lados importam,coisa que pode parecer ruim,mas de fato é ótimo pra narrativa e desenvolvimento da trama.A direção de Marco Bellocchio é eficiente e não contém nada de extraordinário,o roteiro também de Bellocchio e parceria com Daniella Ceseli é superior e com o passar do tempo se torna incrivelmente mais envolvente e contém um dos finais mais chocantes (e revoltantes) que já assisti.
Na parte técnica,Vencer não impressiona,onde somente os figurinos de Sergio Ballo chamam a atenção e sem contar que o filme possui uma fotografia pobre,mas que passa despercebido por tamanho poder do roteiro.

As atuações são nada mais,nada menos que espetaculares,Felippo Timi tem pequenas participações (pra ser mais específico no início e no fim) na sua primeira participação temos um Felippo eficiente e muitíssimo seguro em sua performance e passando muito bem uma época importante e decisiva na vida de Mussolini,mas é justamente no final que vemos o brilhantismo e a capacidade dramática de Felippo e se o final é tão espetacular boa parte da culpa é dele.Já Giovanna Mezzogiorno acaba de entrar pra lista de atrizes preferidas (mesmo que vindo dela,este tenha sido o primeiro).A performance de Mezzogiorno é uma mistura de loucura,visceralidade e expressões devastadoras,a personagem de Mezzogiorno aparece como uma mulher louca e inicialmente irritante,mas com o passar do tempo se torna uma mãe desesperada e a única coisa que nós espectadores temos vontade de abraçar a personagem e sua causa,nos fazendo compreender perfeitamente sua insanidade e quando pensamos que vemos o melhor de Mezzogiorno iremos presenciar uma das cenas mais emocionantes do ano (Ida assistindo Chaplin no cinema é de arrepiar).

Por fim Vencer é um filme maravilhoso no sentido de narrativa e interpretações,para os maiores admiradores de performances marcantes nunca irá se arrepender de assistir ao show de Giovanna Mezzogiorno.


Sinopse retirada do site Adoro Cinema

Nota:10/10

Vencer (Vincere,2009)
Diretor:Marco Bellocchio
Roteiro:Marco Bellocchio e Daniela Ceselli
Elenco:Giovanna Mezzogiorno,Felippo Timi,Fausto Russo Alesi,Michaela Cescon,Pier Giorgio Bellochio

O que Ando Ouvindo

Posted: 15 de nov de 2010 by leo in Marcadores:
4

Ultimamente ando ouvindo muitíssimos álbuns e pretendo semanalmente vir postar sobre alguns que chamam a minha atenção e logo abaixo um ótimo,um mais ou menos e outro espetacular,vamos a eles:

Janelle Monaé - The ArchAndroid

Janelle Monaé é uma cantora que se lançou em 2007 com o álbum Metropolis:Suite I.Se esse álbum Metropolis é bom ou não,realmente não sei,mas se for tão bom quanto The ArchAndroid estamos no lucro.Janelle é de uma originalidade invejável,uma presença magnífica e com uma voz inconfundível.Janelle com sua voz espetacular embala músicas incríveis como Dance or Die,Faster,Wondaland,Say You´ll Go.Mas em termos de melhores músicas temos a belíssima (mesmo que seja a mais bobinha do álbum) Oh,Maker,Sir Greendown que com um Linkótimo clima saudosista da época de ouro da Motown,a animadíssima Tightrope que facilmente cai no gosto e com um ritmo contagiante,mas definitivamente a melhor música do álbum é Cold Wars,música que não sabemos do que se trata mais assistindo ao clipe (um dos melhores do ano) é sobre um assunto que carrega uma provável carga dramática na vida de Janelle.The ArchAndroid é um álbum que sai com um saldo positivíssimo,divertido e de ótimas composições.

Melhor Música:Cold Wars
Nota:9/10


Broken Bells - The High Road

Broken Bells é o projeto musical de James Mercer e Brian Burton é um prato cheio pra quem gosta de Rock Alternativo,todas as músicas são compostas pela dupla que encabeça a banda,fato que torna o projeto ainda mais interessante.O álbum tem ótimas músicas como a inicial The High Road,Vaporize que contém uma bela letra,Float e a ótima (mas confusa) Your Head is On Fire.Mas a melhor música do álbum é concerteza The Ghost Inside tem a melhor letra e é a música mais memorável de todo o álbum.E é justamente nisso que o álbum mais peca,todas as músicas são ótimas mas igualmente momentaneas,nenhuma memorável o suficiente para me fazer cantar junto,infelizmente.


Melhor Música:The Ghost Inside
Nota:7/10


CeeLo Green - The Lady Killer

Se você assim como eu era fã da extinta (?) Gnarls Barkley e achava a voz do vocalista CeeLo Green incrível,eis que o cantor citado lança um álbum solo e que não deixa a desejar aos melhores trabalhos do GB.As músicas de The Lady Killer mesclam incrivelmente letras eficientes,gravações maravilhosas,uma animação absurda e um toque de saudosismo,através de uma bonita homenagem a Motown,mas sempre muito animado,tudo muito pra cima e Old Fashioned é o maior exemplar disso.Dentre as mais memoráveis canções Bright Lights,Bigger City,Wildflower e a belíssima I Want You Back,Cry Baby que contém a melhor letra de todo o álbum e No One Gonna Love You,sem contar com a ótima Love Gun com participação notável de Lauren Bennett da banda The Paradiso Girls.
Mais facilmente em termos de melhor música temos Fuck You (que anda causando polêmica que ao ser cantada ao vivo recebe nomes totalmente diferentes,como Fox News e Forget You) que passa incrivelmente sua mensagem,mesmo que seja de uma forma totalmente perjorativa e assim mais interessante.
The Lady Killer é um álbum certeiro e desde já um dos melhores do ano.

Melhor Música:Fuck You
Nota:10/10

As Melhores Coisas do Mundo

Posted: 10 de nov de 2010 by leo in Marcadores:
9


Mano é um adolescente de 15 anos.Ele está aprendendo a tocar violão com Marcelo,pois deseja chamar a atenção de uma garota.Seus pais Camila e Horácio estão se separando,o que afeta tanto ele quanto seu irmão mais velho,Pedro.Sua melhor amiga e confidente é Carol,que está apaixonada pelo seu professor Artur.Em meio a estas situações,Mano precisa lidar com os colegas de escola em momento de diversão e também sérios.

No cinema atual brasileiros existem certos nomes que imediatamente aguçam muito a minha curiosidade,neste As Melhores Coisas do Mundo pra ser mais objetivo o nome delas é Laís Bodanzky e Denise Fraga,mas a grande surpresa é que elas estão ótimas em seu trabalho,mas quem rouba a cena definitivamente não são elas.
O filme é um interessante e profundo estudo sobre a adolescencia e todas as questões que nos levantamos durante esse período de incertezas.O roteiro usa de uma leveza,sensibilidade e um pouco de bom humor de todas essas dúvidas que o personagem vive,sem falar nas pressões de ser adolescente.O roteiro também toca em assuntos sérios de forma mais plausível possível,em nenhum momento caindo no exagerado ou caricato.
A direção de Laís Bodanzky é novamente certeira,bastante precisa e que não necessita de muito pra chamar a atenção,novamente Laís ganha um merecido reconhecimento por tratar de uma determinada geração com a delicadeza necessária que cada uma merece,mais um ponto pra Laís.

Se todo o filme gira em torno de um personagem absurdamente simpático,precisaríamos no mínimo de um ator simpático e um elenco que acompanhasse a simpatia de tal personagem/ator e pra minha satisfação foi o que ocorreu.
Francisco Miguez é um achado muito do positivo,atua com precisão e como se isso fosse a coisa mais simples do mundo,sem precisar de dramaticidade demais Francisco dá um show particular que mescla talento e simpatia,e se o Mano de Francisco é tão bom,o que dizer das cenas de Mano e Carol (Gabriela Rocha) que são belíssimas e de uma química impressionante.
Outra atuação muito boa é de Paulo Vilhena que com simplicidade é uma peça importante na jornada de auto conhecimento de Mano,e ainda tem Fiuk que pra ser sincero não conseguiu me incomodar tanto assim,mesmo que seu personagem seja o mais chato do filme.Mas em termos de atuação quem rouba a cena é Denise Fraga que tem uma forte atuação e aparece como o personagem mais triste de todo o filme,aliás como dar suporte a uma pessoa sendo que você é a que mais precisa de suporte,sem contar que ela tem a melhor cena do filme disparado.

Por fim como já havia dito quem acaba roubando totalmente a cena é a jornada de auto conhecimento de Mano que acaba nos fazendo nos identificar com muito que acontece durante o filme.


Sinopse Retirada do Site Adoro Cinema

Nota:9.5/10

As Melhores Coisas do Mundo (Idem,2010)
Diretor:Laís Bodanzky
Roteiro:Luis Bolognesi
Elenco:Francisco Miguez,Fiuk,Denise Fraga,Gabriela Machado,Zé Carlos Machado,Caio Blat,Paulo Vilhena,Gabriel Illanes,Júlia Barros

Garota Fantástica

Posted: 1 de nov de 2010 by leo in Marcadores:
7


Bliss Cavendar é uma texana de 17 anos que se vê diante de duas opções,levar a sério o concurso de beleza imposto pela mãe da pequena cidade onde mora ou tentar a sorte no circuito de "Roller Derby",modalidade esportiva predominante feminina,com equipes disputando corrida de patinação em pistas ovais.

Como a maioria das pessoas que lêem meu blog deve saber sou muitíssimo apaixonado por Drew Barrymore,até mesmo em sua presença em filmes ruins me agradam e quando fiquei sabendo que ela iria dirigir com um elenco tão interessante fiquei inicialmente animado,mas concerteza fiquei com pé atrás,mas quando assisti Garota Fantástica o orgulho da atriz só fez aumentar.
O filme conta a história de Bliss uma menina de 17 anos que vive numa espécia de bolha criada pelos pais e que vive dos sonhos da mãe e que sente a necessidade de sair desse ambiente sufocante e é onde o "Roller Derby" que serve tanto como uma válvula de escape como um meio importante para um auto conhecimento.
O roteiro de Shauna Cross trata a situação de Bliss com um realismo que nos permite a fácil identificação com a personagem,sem falar na boa decisão de levar sempre as questões levantadas para um humor simples e sempre eficiente.Outro ponto positivo do filme é o esperto meio de não dramatizar demais certas situações,como exemplo a idade de Bliss,situação que em outras mãos iriam desnecessariamente dramatizadas.

A direção de Drew Barrymore é muitíssimo eficiente,bem conduzida e é sempre ótimo ver uma iniciante se arriscar em filmar cenas aparentemente difíceis (como as dos desafios do esporte),uma direção muito válida,pena (e sorte) que ela focou mais na direção e não muito no personagem que é visivelmente desnecessário.
O elenco do filme é incrivelmente entrosado e simpático,começando pela sempre competente Ellen Page que tem uma de suas melhores atuações (após MeninaMá.Com),onde inicialmente usa de sua veia cômica mas logo pula pra uma dramaticidade,um ponto super positivo não somente pela atuação de Page mas também por um conjunto,é como Page tem boa química com qualquer ator que atue (como vimos anteriormente com Patrick Wilson e Michael Cera) só que em Garota Fantástica acontece com três atrizes.Marcia Gay Harden novamente faz uma coadjuvante que consegue ofuscar todos enquanto atua (sua especialidade,que divide com Patricia Clarkson),Kristen Wiig usa de uma dramaticidade em que não somos acostumados em assistir nela,mas o drama,o humor leve e a leveza ideal pra sua personagem que é a espécie da realidade próxima de uma esporte tão sem perspectiva e ainda temos Alia Shawkat que está nada mais nada menos que divertidíssima no papel.
Tecnicamente o filme não tem muitos atrativos,mas aconselho muitíssimo a ouvirem a trilha sonora espetacular que vai de Ramones a Dolly Parton,realmente vale a pena a conferida.

Por fim Garota Fantástica é um filme que nos faz pensar que o ócio pode nos levar a um lugar sem muitas perspectivas,realista,divertido,pessimista e uma baita surpresa,ponto pra Drew Barrymore e recomendadíssimo.


Sinopse Retirada do Site CinePop

Nota:8.5/10

Garota Fantástica (Whip It!.2009)
Diretor:Drew Barrymore
Roteiro:Shauna Cross
Elenco:Ellen Page,Marcia Gay Harden,Kristen Wiig,Drew Barrymore,Juliette Lewis,Jimmy Fallon,Alia Shawkat,Eve,Zoe Bell,Ari Graynor,Andrew Wilson,Carlo Alban