Direito de Amar

Posted: 21 de set de 2010 by leo in Marcadores:
9


George é um professor de inglês,que repentinamente perde seu companheiro de 16 anos.Sentindo-se perdido e sem conseguir levar adiente sua vida,ele resolve se matar.Para tanto passa a planejar cada passo do suicídio,mas neste processo alguns pequenos momentos lhe mostram que a vida ainda pode valer a pena.

Direito de Amar (tradução cretiníssima para A Single Man) é um filme com uma mistura de fatores que o tornavam mais interessante pra assistí-lo,o altamente criativo e novato (ao menos no cinema) Tom Ford na direção,a absurdamente diva Julianne Moore e a tristeza profunda pela perda de um amor.Criei altas expectativas sobre tudo que envolvia o filme e é difícil descrever a sensação de quando tal filme ultrapassa as suas expectativas.
Como já disse o filme se trata sobre a tristeza que George após a morte do companheiro e é com essa aparentemente simples premissa vemos um dos filmes mais sensíveis e mais bonitos feito com o tema.O roteiro de Tom Ford e David Scearse é simples e de uma sensibilidade tremenda,e ao somente acompanhar o dia a dia de George percebemos a grande necessidade de uma saída para o seu sofrimento imediatamente e é interessante e juntamente triste,como é doloroso viver pra George.
Pra um iniciante Tom Ford impressiona,a segurança e a precisão que nos passa é realmente incrível,outra alternativa interessantíssima que Ford tem durante o filme são suas cores bem extravagantes,mesmo que tudo pareça meio fosco,meio cinza e exatamente em momentos de pequenas doses de felicidade,tudo se colore e a idéia de que ainda há esperança em sua vida se reforça.

Se o filme é dirigido e roteirizado pelo estilista Tom Ford,a parte técnica devia ser no mínimo espetacular e em certos momentos,a parte técnica é extraordinária,os figurinos são impecáveis,a sofisticação e o tamanho da casa de George,só nos reforça a idéia de quão ele é solitário por tamanha é a casa,outro ganho do filme.A edição de Joan Sobel acompanha o ótimo ritmo que o filme tem,a não nos permite nos confundirmos com alguns flashs que o filme possui.
Mas poucas coisas nesse filme consegue nos impressionar tanto quanto a trilha sonora irretocável de Abel Korzeniowski que capta perfeitamente a atmosfera melancólica que o filme possui,e após assistir o filme,ouvir a trilha sonora é arrepiante ouvir composições decisivas do filme (And Just Like That que o diga).
Que George é um personagem forte e que precisaria de uma altíssima carga dramática todos sabíamos,mas Colin Firth vai além,Firth tem o poder de nos encantar e vibrarmos por todos os passos,positivos ou negativos de sua vida.É impossível ficar imparcial e não torcer pelo rumo da vida de George e Colin Firth nos apresenta a melhor atuação do ano.Mas felizmente o filme não é só Firth,num filme onde se tem Julianne Moore é impossível não ficar encantado,nesse filme Ford usou todos os seus atributos,a beleza excessiva e a dramaticidade aguda que a atriz tem sobre ela e em somente uma cena me agrada demasiadamente.Já o talentoso Nicholas Hoult consegue se sobresair num poderoso (e curto) elenco,mesmo que atue somente com Firth,consegue ter o seu espaço no filme.

Por fim Direito de Amar é facilmente um dos melhores filmes do ano,profundidade absurda,belíssimas cenas e um monólogo inicial de nos arrepiar,o filme se mostra um dos mais subestimados que já vi,recomendo muitíssimo.


Nota:10/10

Sinopse Retirada do site Adoro Cinema


Direito de Amar (A Single Man,2009)
Diretor:Tom Ford
Roteiro:Tom Ford & David Scearse
Elenco:Colin Firth,Julianne Moore,Nicholas Hoult,Matthew Goode,Jon Kortajarena

9 comentários:

  1. Leo, preciso comentar algo ?
    Minha opinião você já sabe. Acho este filme incrível, uma extrema sensibilidade e visualmente lindo. Magnífico em todos os aspectos! xD

    Abs.

  1. Leo, preciso comentar algo ?
    Minha opinião você já sabe. Acho este filme incrível, uma extrema sensibilidade e visualmente lindo. Magnífico em todos os aspectos! xD

    Abs.

  1. Tom Ford me surpreendeu maravilhosamente! Filme maravilhoso, extremamente bem feito e elaborado. Percebe-se nitidamente que Mr.Ford tem um olhar cinematográfico. Que venham os próximos!

  1. Concordo em tudo com seu texto que consegue captar e mostrar o quão denso, belo e tocante é o filme!

    Para mim, Colin merecia o oscar - assim como a sublime e inspirada trilha de Abel.

    abraço

  1. Sempre que alguém gosta do filme, fico contente. É uma obra-prima, filme lindissimo, um elenco soberdo, trilha sonora impecavel, figurino avassaladores, tudo do melhor, não me canso de elogiar o filme, incrivel, impecavel, Nota 11!

  1. leo says:

    ALAN Concordo totalmente,LINDO DEMAIS.

    ANNESTESIA Assim que o filme terminou foi um dos pensamentos que eu tive,espero muito que Tom Ford continue com o cinema de qualidade,é realmente gratificante ver um estreante começar dessa forma.

    CRISTIANO mesmo sabendo que Jeff Bridges esteve incrivel em Coração Louco,Colin merecia pela entrega total ao personagem e a trilha de Abel Korzonieski é fora do normal !

    CLEBER HAHAHAHAHAHA,realmente é um filme sem defeitos,espetacular em todos os sentidos.

    Abraço a Todos

  1. w says:

    Obra de arte primorosa, em todos os aspectos. Amo esse filme.

  1. Wally says:

    O "w" aí sou eu. ¬¬

  1. leo says:

    WALLY É realmente impossível não amar esse filme,divino,belíssimo,lindo demais.
    Abraços