127 Horas

Posted: 18 de fev de 2011 by leo in Marcadores:
7


Em Maio de 2003,Aron Ralston fazia uma escalada nas montanhas de Utah,Estados Unidos,quando acabou ficando com seu braço preso em uma fenda.Sua luta pela sobrevivência que durou 5 dias (127 Horas óbvio) foi marcada por memórias e momentos de tensão,relatados em um livro.

127 Horas é um filme que nasceu com um fardo:Ser o sucessor do bem sucedido (e divisor de opiniões) Quem Quer Ser um Milionário ?,e assim que anunciado foi criada a pergunta,será que Danny Boyle irá decepcionar novamente ?
Como já disse,127 Horas é um filme sobre as infernais e intermináveis horas que Aron passou preso a fenda,onde é sujeito a pouco sol,poeira e tempestades,Danny Boyle faz bem em nos familiarizar com o inferno vivido pela personagem.
O roteiro assinado por Boyle e Simon Beaufoy (a mesma dupla de Quem quer ser um Milionário?),tem pontos positivíssimos como o diálogo ótimo e muitíssimo particular do "Talk Show do Aron Ralston" e momentos de extrema vergonha alheia,como o pedantíssimo "O que faço pra entrar aí ... no seu coração",mas fora os diálogos o roteiro acompanha a direção,não impressiona,mas também não é tão ruim ao ponto de incomodar em certos aspectos.

Tecnicamente,127 Horas é bastante eficiente,a trilha sonora de A.R Rahman é incrível,acompanhando perfeitamente os momentos de tensão extrema,a Direção de Fotografia de Enrique Chediak e Anthony Dod Mantle é belíssima e a edição de Jon Harris é bastante eficiente e acelerada,mas justamente nisso que está um grande pecado do filme,no último ato o filme se torna um tanto cansativo com tamanha freneticidade.
Como o disse,127 Horas tem lá seus pecados de ritmo e roteiro,mas quando se tem James Franco em sua melhor forma,qualquer erro se torna algo minúsculo e ridículo,Franco está irretocável,extraordinário e consegue transmitir todas as frustrações da vida de Aron sem momento algum parecer forçado.O auge de James Franco é justo na genial e já citada cena do "Talk Show do Aron Ralston",impressionante a capacidade de cativar mesmo numa situação tão incômoda.

Por fim 127 Horas é um filme que não passa do muito bom,inicia de forma ideal e derrapa perto do fim,mas é algo que se torna perdoável quando se tem a presença de um espetacular James Franco,recomendadíssimo.


Nota:8.5/10

Sinopse Retirada do Site Adoro Cinema

127 Horas (127 Hours,2010)
Diretor:Danny Boyle
Roteiro:Danny Boyle,Simon Beaufoy
Elenco:James Franco,Kate Mara,Amber Tamblyn,Sean Bott,Treat Williams,Kate Burton,Clemence Poésy,Lizzy Caplan

7 comentários:

  1. Amei esse filme. E olha que nem gosto tanto de Danny Boyle (acho "Quem quer ser um Milionário?" superestimado, uma linda trilha do competente A. R. Rahman e uma atuação espetacular de James Franco, que é (de longe) o que há de melhor no filme.

  1. Vejo essa semana, mesmo sendo sensível, referindo-se a famosa cena! rsrsrs.

    Beijos! ;)

  1. Gosto bastante de James Franco, o cara é bom ator e sempre simpático. Verei o filme mais por conta dele do que o filme em si.

    Abs.

  1. Fala Leo, blz?

    Cara, discordo quando vc diz que a trilha acompanha perfeitamente a narrativa, coisa que eu acho que seja a maior falha desse quesíto que é o fato de algumas vezes a música não coincidir com a ação em tela, o que quebra totalmente a sensibilidade da mesma. Mas, concordo quando diz do ritmo e das falhas do roteiro que, se não fosse por Franco, realmente seria uma tragédia.

    Abraço!

  1. esperava BEM mais, mas é um filme muito bom!

    http://filme-do-dia.blogspot.com/

  1. O excesso de expectativa em cima de filme, me causou uma certa decepção. Danny Boyle, quis literalmente tirar leite de pedra. Franco, em seu melhor desempenho, não é o suficiente.

  1. Weiner says:

    Depois do excelente "Slumdog Millionaire", realmente não tinha como segurar certa expectativa dcom este filme, e isso aconteceu. Resultado? Não achei que o jeito habitual de filmar de Boyle tenha se encaixado com a perfeição que se encaixou em no antecessor. Boyle dá ao longa uma veia pop exagerada, que atenua o sofrimento e o horror que Aron Ralston certamente deve ter sentido quando ficou isolado naquele cânion em 5 dias. Poderia ter seguido a vibe de "Enterrado Vivo". Seria melhor.
    Franco, porém, está monstruoso - versátil como nunca, vivendo vários Arons dentro de um só.